"Já que o mundo se encaminha para um delirante estado de coisas, devemos nos encaminhar para um ponto de vista delirante. Mais vale perecer pelos extremos do que pelas extremidades" Jean Baudrillard

terça-feira, 30 de março de 2010

A Paralisia do Sociólogo

Aqueles que não sabem fazer sociologia, fazem a sua história, produzem romances intelectuais sobre seus autores ou criticam a metodologia dos que a fazem mediante uma espiral sem fim de referências. Hoje, no mundo intelectual do Brasil, a última alternativa para o intelectual burguês que se quer fazer sociólogo é aprender três ou quatro idiomas, em “centros de cultura estrangeira”, fazer algumas viagens estratégicas com verba pública, e passar o resto da vida “tendo acesso aos originais” a fim de garantir alguma visibilidade dentro dos congressos e dos debates.  Vez ou outra, alguma tradução é homeopaticamente expurgada para que os servos da sociologia se deleitem com a erudição – estéril – do Grão-vizir: aquele que tudo sabe, mas nada faz.
Enquanto isso, problemas urgentes são delegados aos nossos colegas Economistas, Jornalistas e Juristas: aqueles que tudo fazem, mas nada sabem.
Fonte: http://blogdonetmind.com/blog/wp-content/uploads/2007/09/escher-flickr.jpg

Nenhum comentário:


Complexidade de um mundo carente de inteligibilidade sobre suas próprias questões...