"Já que o mundo se encaminha para um delirante estado de coisas, devemos nos encaminhar para um ponto de vista delirante. Mais vale perecer pelos extremos do que pelas extremidades" Jean Baudrillard

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Homenagem CBS ao Comando Revolucionário da Lagoa Rodrigo de Freitas


Eles estão por aí. Eles estão em toda parte. São os grandes benfeitores, os emancipadores os empoderadores.O jargão marxista agora vem acoplado com o obscurantismo de escolas mais recentes. Se vestem de modo peculiar e são capazes de ser reconhecidos à distância. Possuem vastas e sinistras bibliotecas. Costumeiramente, e com um atavismo religioso, freqüentam os ambientes do povo. Bebem a mesma bebida, comem a mesma comida e até lavam as mãos no mesmo tacho. Ao cair da noite, entretanto, se recolhem da masmorra em direção ao palácio. São perigosos, isto não se questiona. Eles amam a música que fala do povo. Eles cantam junto com o povo. Eles riem quase a mesma risada. Após tudo isto, temos uma única certeza: eles odeiam - com o mesmo atavismo - tudo que cheira a "povo". As boas-novas da emancipação não consegue esconder todo o vigoroso desprezo deles pelo povo. O alabastro de seus corpos não é suficiente para esconder a lama fétida de suas intenções. "O meu pastor não sabe que eu sei da arma oculta em sua mão".  

Nenhum comentário:


Complexidade de um mundo carente de inteligibilidade sobre suas próprias questões...